Sara Afonso - TEATRO

Iniciou a sua formação artística na música com o curso de piano do Instituto Gregoriano de Lisboa, tendo posteriormente estudado canto na Escola de Música do Conservatório Nacional, com Manuela de Sá. Fez o curso profissional de actores da ACT e formação em Técnica de Michael Tchékhov, Commedia dell'Arte, Teatro de Improviso e Encenação. É licenciada em Psicologia pela Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Lisboa.

 

Soprano solista em diversos concertos com piano e também com orquestra, estreou “estados” e a Cantata “Awakenings” da compositora Sara Ross, integrou o elenco de MUSAico do compositor Pedro Moura, no CCB, e de Beaumarchais, com música do compositor Pedro Amaral, em cena no Teatro Nacional Dona Maria II.

 

Integrou diversas produções de teatro, teatro musical e teatro-música, tendo trabalhado com encenadores como Claudio Hochman, Nuno Pino Custódio, Ruben Saints, Manuel Jerónimo, Linda Valadas, Bruno Cochat, Mário Redondo, Jorge Andrade, Ricardo Neves Neves e Marco Martins.

 

Apresenta-se frequentemente em espectáculos de teatro de improviso, sendo membro co-fundador de Cardume, colectivo que fez a sua estreia internacional em 2020, no Festival Internacional de Improviso de Amsterdão.

 

Integra o Teatro Riscado, iniciativa que reúne um grupo de criadores que apresenta regularmente criações diversas a partir de um determinado tema.

 

Em ópera, em que tem a oportunidade de juntar duas das suas paixões, interpretou os papéis de Pamina (Die Zauberflöte), Serpina (La Serva Padrona), Despina (Così Fan Tutte), Zerlina (Don Giovanni) e Susanna (Le Nozze di Figaro) em produções da Orquestra Metropolitana de Lisboa, bem como de Lauretta (Gianni Schicchi) com a Orquestra Filarmonia das Beiras e Soeur Gertrude (Dialogues des Carmelites) no Teatro Nacional de São Carlos.

 

Dirige o CoroART. Colabora com o Coro Gulbenkian e com alguns ensembles vocais e instrumentais, nomeadamente Americantiga, Melleo Harmonia, Polyphonos e Carmin'Antiqua. É vocalista do grupo de prog-rock Roundabout.

 

Faz dobragem, nomeadamente de séries de animação, e locuções.

 

Orienta frequentemente ateliers e dá formação na área da expressão vocal e teatral, e em teatro de improviso, a crianças e adultos. Procura desenvolver e explorar a versatilidade vocal por meio de diferentes estilos e formas de expressão, bem como o cruzamento entre teatro e psicologia, como performer e também como formadora.