Sofia Cosme

Flauta Transversal e Traverso Barroco

Sofia Cosme é flautista, e professora de flauta transversal desde 1999.

Nascida em Lisboa, formou-se nesta cidade, primeiro na Escola de Música do Conservatório Nacional, depois na Escola Superior de Música de Lisboa, tendo terminado o curso de Licenciatura em 2002. Foi bolseira do Instituto Politécnico de Lisboa/Programa Erasmus, realizando parte dos seus estudos no Conservatório Real de Bruxelas, em 1998. Interessando-se desde cedo tanto pelo aperfeiçoamento como intérprete no seu instrumento, como pela pedagogia do mesmo, participou em cursos e Masterclasses de flauta com pedadogos de renome tais como Trevor Wye, William Bennett, Patrick Gallois, Istvan Matuz, Jaime Martin, W. Hazelzet e M. Hantai, entre outros.

Depois de terminar os seus estudos, viveu entre 1999 e 2001 na Malásia, trabalhando na Orquestra Sinfónica Nacional desse país, onde também lecionou flauta e música de câmara em várias instituições de ensino em Kuala Lumpur e em Penang. Foi músico convidado na Malaysian Philharmonic Orchestra, Penang State Symphony Orchestra (com a qual tocou como solista numa tourné à Austrália) e Kuala Lumpur Symphony Orchestra.

Foi professora de flauta em diversas escolas e conservatórios em Lisboa, Tomar e Cascais, sendo neste momento professora no Conservatório de Música da Metropolitana (desde 2002), onde também desempenha atualmente funções de Coordenação Pedagógica, na St. Julian’s School (desde 2003), no Instituto de Música Vitorino Matono (desde 2013) e na Academia de Música de Telheiras (desde 2020), tendo também já lecionado em vários cursos intensivos e workshops de flauta e de orquestra (como, por exemplo, em três edições do Festival de Música Júnior e dois da Orquestra de Sopros do Médio Tejo).

 

No âmbito da Pedagogia da Música/Instrumentos musicais, tem um artigo científico publicado na Revista Portuguesa de Educação Artística (revista com arbitragem científica) com o título “O relacionamento pessoal entre professores e alunos nas aulas individuais de instrumento/canto em Portugal e a sua influência no percurso musical do aluno: um estudo de caso” (Revista nº2, 2012).

Em paralelo, tem colaborado frequentemente com a Orquestra Gulbenkian como músico convidado (desde 2002), tendo também já tocado com a Orquestra do Algarve (atual Orquestra Clássica do Sul) muito frequentemente entre 2007 e 2010 (e novamente em 2019), tendo inclusivamente feito tournés a Bruxelas e a Viena com esta formação, com a Orquestra Sinfonietta de Lisboa, a Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras, a Orquestra do Norte e a Orquestra Metropolitana de Lisboa, assim como com diversos grupos de música de câmara, entre eles o quarteto de Flautas “Glitter”.

 

Terminou em 2013 o curso profissionalizante de Mestrado em Ensino da Música – com especialidade em Flauta – na Academia Nacional Superior de Orquestra em parceria com a Universidade Lusíada. Concluíu também o curso de Licenciatura em Música Antiga – Traverso - na Escola Superior de Música de Lisboa (2015) e o Mestrado em Interpretação (Música Antiga - Traverso) na ESMAE (Porto) em 2017. Nesta área já tem tocado como músico convidado com Os Músicos do Tejo, Concerto Ibérico, Ensemble Arabesco, Gli Accenti e pertence ao grupo Ars Eloquentia, com quem tem concertos frequentes.